Prémio Bárbara Virgínia da Academia Portuguesa de Cinema

Prémio Bárbara Virgínia da Academia Portuguesa de Cinema

Prémio a uma pessoa que marcou várias gerações. Quem nunca foi ao guarda-roupa alugar uma fantasia ou um smoking? Lembramo-nos tão bem das várias festas do Lux-Frágil. A sua criadora, Maria Gonzaga será distinguida com o Prémio Bárbara Virgínia da Academia Portuguesa de Cinema, pelo seu notável contributo para o cinema português ao longo de 5 décadas de atividade. 

O seu multifacetado percurso profissional está ligado ao cinema, teatro e à televisão, principalmente na área do guarda-roupa, tendo também sido atriz, maquilhadora e decoradora.

Em 2014 e 2019, venceu o Prémio Sophia na categoria de Melhor Guarda-Roupa com os filmes “Até Amanhã Camaradas” – no qual também integrou o elenco enquanto atriz – e “Parque Mayer”.

A sua atividade como responsável de guarda-roupa conta já com mais de 45 participações entre filmes, séries e documentários. 

A cerimónia de entrega do Prémio decorrerá na Cinemateca Portuguesa, no dia 22 de junho às 18h00, seguida da projeção do filme “A Promessa” de António de Macedo, onde Maria Gonzaga participou como atriz, marcando o seu primeiro contacto com o mundo do cinema.

Recorde-se que o Prémio Bárbara Virgínia foi instituído pela Academia Portuguesa de Cinema em 2015 para homenagear mulheres que se distinguiram no cinema português. Até à data, o prémio foi atribuído a Leonor Silveira, Laura Soveral, Teresa Ferreira, Júlia Buisel e Solveig Nordlund. 

Sobre Maria Gonzaga: 

Nasceu em Portugal em 1951. Estudou Cenografia no Conservatório Nacional, seguindo-se uma Pós-Graduação de Design de Cena, em 2012. 

Para além do seu percurso no mundo do figurinismo e da cenografia, Maria Gonzaga é também um exemplo de empreendedorismo e resiliência, tendo criado a sua própria marca. No seguimento da criação da marca surgiu a abertura de um ateliê, um espaço onde se encontram disponíveis todo o tipo de peças da autoria da própria, disponíveis para aluguer, quer para eventos ou para algum tipo de trabalho especializado. 

Em 2012, a Peris Costumes, marca espanhola de guarda-roupa especializado fundada em 1856 e responsável pelo guarda-roupa de milhares de produções internacionais, decidiu apostar na sua internacionalização para Portugal, sendo que uma das principais razões que motivou esta seleção foi exatamente o conhecimento do talento e do brio de Maria Gonzaga. Deste projeto de internacionalização resultou um trabalho conjunto, solidificado em 2016, que se mantém até aos dias de hoje. 

Gostou do artigo? Goste e partilhe!

Prémio Bárbara Virgínia da Academia Portuguesa de Cinema

bookmark_border

mais em Culture, Lifestyle

“Prendre le large”, fazer-se ao largo

a redireccionar em 10 segundos